Das dificuldades das dietas


Hoje, oficialmente, iniciei mais uma dieta. Gostaria de dizer que é a dieta definitiva, mas não ouso mais afirmar nada como se eu realmente pudesse ter certeza, principalmente no que diz respeito a controle e manutenção de peso.

Contudo, hoje eu tive oportunidade, por estar atento aos sinais externos e de meu próprio corpo, de observar alguns dos fatores que causam mais estresse a quem está submetido a algum regime alimentar.

Apenas para situar contexto, devo dizer que adquiri um daqueles “kits de perca peso agora” de um amigo que não pratica marketing multinível, apenas entrou no esquema para poder comprar seus próprios produtos pelo preço de custo (e a diferença é considerável). Este meu amigo emagreceu saudavelmente mais de 20kg em apenas seis meses. E, por sinal, foi exatamente esse resultado que vi nele que me fez ter ânimo para encarar o “programa de nutrição”.

Este “método” para emagrecer consiste em ingerir alguns complementos (vitaminas e fibras) na forma de pastilhas, bem como um alimento em pó, na forma de shake, que substitui duas das três principais refeições diárias. Seguindo a sugestão de meu amigo, resolvi substituir café da manhã e jantar, já que na maior parte das vezes eu almoço em restaurantes com amigos e/ou colegas de trabalho, o que tornaria mais difícil de substituir essa refeição.

Então, o dia começou bem, acrescentei duas bananas ao leite e o pó para preparar a bebida, e o sabor e a consistência ficaram bem agradáveis. Saí para trabalhar, e só senti fome novamente depois do meio-dia. Como eu viria para casa já na hora do almoço, aproveitei para preparar meu próprio alimento (estou com visitas em casa, e elas me ajudaram no preparo). Comi normalmente, até a saciedade, embora meus amigos tenham achado que eu comi menos. Enfim, até aí tudo bem. O problema veio mesmo depois do almoço: eu estou de dieta, mas minhas visitas não. O que elas haviam preparado de sobremesa na minha ausência é algo proibido para quem deseja emagrecer: morangos maduros com chantilly (ou melhor, nata batida com açúcar).

A tarde passou rápida, até porque eu a despendi ajeitando meus pertences em seus lugares (estou de casa nova). Na hora do jantar, que eles prometeram que seria algo que não atrapalharia minha dieta, outra dor no coração: enquanto eu preparei o mesmo shake matutino, só que desta vez com maçã ao invés de banana, eles faziam pão francês no forno, com queijo derretido. Ah, claro, molho de tomate com um perfume maravilhoso completava o jantar simplezinho deles.

E de sobremesa também algo bem simples: sorvete de chocolate, incrementado com pedaços de chocolate ao leite. “É que a gente comprou do mais barato, aí bota o chocolatinho para ficar mais legal”. Poupem-me, por favor.

Mas isso foi só o primeiro dia. Porque já sei que o cardápio para amanhã é pizza, com muito queijo, mas muito queijo mesmo! E para o café da manhã estão agora mesmo preparando um bolo delicioso — pelo menos o cheiro é — de laranja.

Como alguém vai conseguir emagrecer com este tipo de tentação rondando?

Avalie este artigo

Avaliação média: 5
Total de Votos: 1

Das dificuldades das dietas

»crosslinked«

Tags:

2 comentários

  • Rodrigo:

    Seja forte Janio, concentre-se no objetivo e siga em frente. Eu não vou dizer que sou a favor dessas dietas de shakes, pós, pílulas e bla bla bla. Mas se você confia nela, não ligue para os cheiros que te rondam 🙂
    Beba muita água, da uma passeada no quarteirão, se concentra em outra coisa… Enfim tenta esquecer a comida que eles tão preparando, até porque me parece que eles não vão ficar muito tempo.

    Mas ainda acho que você deveria tentar uma reeducação alimentar com exercícios. 😛

    Responder
  • Ana:

    Eu tenho outro problema contrário tenho que aumentar a minha alimentação porque engordo por comer pouco e quando como o meu corpo faz reservas para compensar a falta de apetite que tenho…. eu trocava de livre vontade…

    Responder

Comente!

Deixe uma resposta