A psicologia da obesidade


Já faz algum tempo (dois meses e meio) que não escrevo nada novo neste blog. A principal razão para isso, para a falta de motivação, é o fato de as pessoas aportarem aqui apenas em busca de fórmulas milagrosas para emagrecer, ou — pior ainda — tentando adquirir medicamentos controlados sem receita médica. Todos os dias eu penso em escrever novamente explicando por que não permito este tipo de material no meu site, mas acabo ficando descoroçoado ante a insistência das criaturas em não lerem, e quando lêem em não entenderem o que eu quero dizer.

Mas pode acontecer de apenas uma pessoa não ter o mesmo comportamento da turba disforme que procura milagres gratuitos, e se você for esta pessoa, é para si que serão dedicados os próximos parágrafos, nos quais pretendo dar a minha visão sobre as causas psicológicas da obesidade.

Uma das mais frustrantes constatações ao ler os comentários que os leitores deixam aqui (muitos dos quais eu não publico, por serem ofensivos ou perniciosos) é a de que as pessoas só buscam combater os efeitos de seu problema, retratados no sobrepes, e rechaçam veementemente qualquer abordagem que sugira que procurem as causas reais de seu problema.

De maneira resumida, podemos considerar a gordura excessiva no corpo como indícios de retenção (de mágoas, rancor, ódio, medo, etc) e de fragilidade (a gordura funciona como uma “camada protetora” que impede que as ameaças externas cheguem ao indivíduo). Estas duas visões não se excluem, e é até comum que os dois princípios coexistam na mesma pessoa.

Regra geral, o obeso é hipersensível. Rancoroso, ele não consegue perdoar os erros do passado (os seus próprios ou os de terceiros), e pela sua imaturidade — que não tem nada a ver com a idade cronológica — ele atribui sempre a terceiros as causas de sua frustração, raramente ou nunca assumindo a responsabilidade pelas suas próprias escolhas; assim, ao reter esse rancor, esse desamor, ele necessita criar um mecanismo de proteção, já que ele acha que a ameaça está fora; e está feita a combinação perfeita para que camadas e mais camadas de gordura se acumulem.

Vale notar que as pessoas — principalmente as que não têm que lutar contra a obesidade — simplificam tudo ao dizer que todo gordo come demais. Como toda generalização, esta é leviana. Conheço gordos que realmente comem pouco, muito pouco, e ainda assim continuam acumulando cada vez mais peso, cada vez mais gordura. Isso porque o organismo acaba assimilando o medo inconsciente que a pessoa tem de passar por privações, por perdas de maneira geral, e acaba não eliminando daquele alimento o que deveria ir parar na privada, literalmente.

O que as pessoas se recusam a tentar entender é que engordam devido à natureza de sua relação com a comida. Carências afetivas (e gordos são, normalmente, poços de carência) são compensadas com guloseimas, “gostosídeos”, alimentos altamente calóricos e de baixo valor nutritivo. Isso demonstra que os problemas que causam  a obesidade são oriundos, portanto, da porção criança da pessoa. Mais especificamente, ousaria dizer que entre a gestação e os três anos de idade é que se formam estes traumas que fervilham medo e carência na alma do gordo. Ora, a maioria das pessoas, quase a sua totalidade, não consegue acessar memórias dessa época espontaneamente, o que ressalta a necessidade de se ter um bom acompanhamento psicológico para o êxito de qualquer processo de emagrecimento.

Para coroar minha teoria evoco a memória do típico comportamento infantil: deixe os petizes decidirem o que vão comer, e é bem provável que eles escolham uma dieta à base de chocolate, salgadinhos e refrigerantes.

Vale lembrar que o obeso tem o desejo de realizar mudanças na sua vida. O que lhe falta, normalmente, é resolução para seguir em frente em suas decisões. Decisões estas que normalmente ficam no âmbito dos exercicios físicos, da reeducação alimentar, da privação de determinados alimentos, mas raramente vão para o nível do perdão, do amor e da superação dos traumas.

Não é raro também que os gordos tenham uma dificuldade imensa de dizer “não”. São aquelas crianças que são os filhos perfeitos, os alunos favoritos dos professores, os jovens que se tornam os palhaços da turma, que desenvolvem um excepcional bom humor que, de fato, funciona como um casulo emocional, tal qual já falamos da gordura nos parãgrafos precedentes. Ora, alguém que nunca nega nada a ninguém acaba se empanturrando de “sapos”, que engole para não correr o risco de perder o afeto e a aprovação dos que o rodeiam.

Orgulho e prepotência também são características comuns ao obeso. Muitas vezes este se aferra a uma situação (ou a outra pessoa) claramente perniciosa, apenas motivado pela incapacidade de lidar com o medo da perda que adviria de enfrentar e realizar a solução do problema.

Aliás, em termos psicológicos, é bom ficar atento ao fato de que proporcional ao sentimento de ser vítima do mundo é o tamanho da prepotência da pessoa. Afinal, ela se julga tão especial que todo mundo “quer” prejudicá-la, quer prendê-la, limitá-la. E, naturalmente, a prepotência costuma ser tão grande que refutam inclusive este argumento.

Expostos todos estes pontos — que estão absolutamente distantes de esgotar o assunto — podemos inferir que para que um processo de emagrecimento seja efetivo, duradouro, é necessário que o interessado esteja munido de muita coragem para mergulhar no seu próprio mundo interior, a fim de descobrir quais são seus monstros pessoais, seus medos, suas angústias, e principalmente onde é que ele não está sendo capaz de perdoar. É preciso muito mais coragem para fazer uma viagem de autoconhecimento, para começar o processo, entrar nos problemas (porque é a única maneira de realmente sair deles), do que para deitar-se numa cama de hospital e permitir que um médico corte ou grampeie um pedaço do estômago.

Avalie este artigo

Avaliação média: 5
Total de Votos: 1

A psicologia da obesidade

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

59 comentários

  • Reinaldo:

    Sou também um obeso mórbido, e como é interessante ler o que você escreveu, porque nos vemos como em um espelho, não é verdade?

    E quando chegamos a um tamanho imenso (como é o meu caso) nos deparamos com o grande "X" da questão: E agora, como reverter isso tudo?

    Parabéns pelo blog.

    • Janio Sarmento:

      Reinaldo, como toda caminhada esta também requer que se comece com o primeiro passo, que você já deu ao reconhecer-se com um problema.

      Sugiro que sua próxima ação seja procurar um profissional da ária de Psicologia, com o fito de descobrir onde e quando você começou a se tornar gordo, a partir do que será possível a você escolher se quer continuar gordo (eu quis, embora os preços que a gente pague, porque eu gordo tenho uma vida amorosa muito mais ativa e gratificante do que todos os meus amigos magros) ou se quer emagrecer.

      Quanto ao enxergar-se no espelho, escrevi o texto a partir, claro, do meu próprio ponto de vista. E que bom que você gotou deste artigooooo

  • Movido a Vapor » Viver a vida como ela é.:

    […] jovens que tem muito a ensinar, questionar, não concordar com tudo e com todos, fazer dieta, emagrecer, prosseguir, criar novas amizades, […]

  • Daiana:

    Assim como o Reinaldo, parece que me vi em um espelho quando li este texto, mesmo não sendo uma obesa (apesar de agir como tal).

    Meu problema é decorrente da compulsão alimentar, o que faz de mim uma pessoa tecnicamente com sobrepeso, mas que vive o efeito sanfona. E minha compulsão ataca principalmente quando me sinto acoada, ansiosa, nervosa, etc etc…

    E como estou em um momento destes, vi meu reflexo aqui.

    Achei seu blog ao procurar "comprar sibutramina" no google, tenho a oportunidade de começar a me medicar com tal substancia, e você me fez repensar o assunto… O que você acha?

    Obrigada por compartilhar, e ter a força de incentivar o melhor comportamento das pessoas no que se trata a reeducação alimentar.

  • anderson:

    quanto tempo demora mais ou menos pra perceber o efeito da sibutramina?

    • Janio Sarmento:

      O que essa pergunta tem a ver com esse texto?

  • MARCOS RODRIGO:

    ola filho

    meus pensamentos sao subtraidos pelo seu gesto

    nao sei como descrever o que sinto ao mesmo tempo que vc apresenta uma pessoa me deparo com muitas outras pessoas que vivem com seus vicios assim como eu tenho 195 kilos 174 alt. casado 26 anos lindo charmoso e muito alto confiante e sei das minhas limitaçoes …

    e tbem tenho certeza que minha obesidade e fruto de alguma frustaçao do passado da minha vida me deparo com uma duvida por que muitos seres tbem sentem isso que vc descreve e nao sao obesos ? por que a depressao prende tantas pessoas ao passado levando elas a reviverem todas a vida em funçao disso?

    se apegando ao vicios

    filho eu nao cresci com seu comentario mais realmente pensei um pouco lhe dou razao mais i vc que escreve isso se sente realizado com o mundo a sua volta e qual e sua frustração, porque se sente a vontade de discutir e expor seu ponto de vista

    • Janio Sarmento:

      Caro, em primeiro lugar não me chame de filho, que esse privilégio só teve um homem nesse planeta, e infelizmente ele já se foi.

      Em segundo lugar, mas não menos importante, não entendi o que você quis dizer. Se puder reescrever o comentário de maneira mais lógica eu apreciarei.

      • Jane:

        Acho q entendi o q o Marcos quis dizer, que ele embora gordinho é feliz, q nem todos os presos ao passado com depressão ou frustrações são gordos, ele conhece magros assim e que se vc é feliz sendo gordinho, pq se debate esse tema dedicando seu tempo a isso?

        acho q foi isso…

        ps. eu gosto do seu site e comentários , tem me acrescentado bastante e entendo o q vc transmite.

  • Carine:

    Olha eu estava procurando na Internet a tal dieta da Gelatina, rsrs…

    Ai sem querer esbarrei com o seu blog. Vi o artigo da dieta e tal e vi esse artigo relacionado. Resolvi entrar e pronto me vi totalmente dentro dele. Desde pequena fui gordinha. Sempre fui mt carente, prepotente como diz no texto. O que me levou a ser assim não sei! Mas também não tenho dinheiro e nem tempo pra entrar numa psicologa infelizmente!!!!sempre fui muito depressiva a respeito disso, mas sempre tento mudar e nadaaaaa!!!! Acredito que até na escolha da minha profissão foi devido a isso…. Eu queria uma, em que eu não precisaria lidar diretamente com o público(Sistemas da Informação)

    Bom tenhu umas amigas com o mesmo problema, e peguei esse seu texto para imprimir e mostrar a elas o grande X da questão rsrsrs…..

    Parabéns pelo seu blog gostei muito do artigo….

    • Janio Sarmento:

      Carine, compartilhamos a profissão, além do sobrepeso. 🙂

      Se me permite dizer, essa sua história de não ter tempo nem dinheiro para uma terapia é a mais furada e absurda mentira que você vem contar aqui, e quer que eu acredite.

      Ao dizer que não tem tempo nem dinheiro para consultar um psicólogo você está dizendo que você não é prioridade para si própria, que você finge que se importa com sua atual situação, mas na verdade está é gostando de ser como é, e de ficar pulando de uma dieta "mágica" para outra com o fito de fracassar repetidas vezes para reafirmar o programa de "ó, como sou coitadinha".

      Afinal, quais são as suas prioridades na vida?

  • Grace:

    Ola Senhor Janio, gostei mutio do seu texto e gostaria de parabeniza-lo. Parece que seu texto foi escrito para mim. Sou uma obesa morbida, tenho 1,63m e 111kg sempre fui gosrdinha , mas as uns cinco anos atras eu comecei a emagrecer e chegei a pesar 65 kilos, foi uma epoca grandiosa , estava satisfeita com meu corpo e tb profissionalmente, contudo sofria muito no amor. Hoje encontrei um grande amor e o vivo intensamente, tao intensamente que esqueci o de viver o resto da minha vida. Estou formada, desempregada, me sinto excluida pela sociedade, alem de me sentir uma baleia andante. tenho depressao , anemia,. ai nao consigo continuar falando por agora pois estou ficando mais confusa ainda.

    abraço Grace

    • Janio Sarmento:

      Grace.

      Você se apaixonou por kryptonita? Que raio de amor é esse que te sufoca, te mata, te deprime e te impede de sequer pensar para concluir um comentário num site?

      Acho que está na hora de rever os seus conceitos, e procurar ajuda especializada. Dê uma olhada no que eu respondi à Carine, no comentário acima.

  • karen_zinha:

    Olá Janio!

    Entrei no seu blog quando procurava maiores informações sobre a Sibutramina, e estou achando ele fantástico!

    Me identifiquei muito com esse post. Apesar de não ser obesa, já pensei várias vezes sobre isso que postou e sei que o meu sobrepeso está diretamente relacionado às questões emocionais.

    Enfim, estou postando para dizer que está de parabéns! Muito bom o seu blog!

    É de grande ajuda para aqueles que (assim como eu) estão compartilhando do mesmo problema ver que precisamos nos conhecer melhor para que tenhamos sucesso no nosso objetivo.

    Também é bom para perceber que todas essas alterações de humor, que essa vontade súbita de nos afogarmos em pratos e potes de guloseimas é normal durante o nosso processo de emagrecimento, e que o mais importante é a determinação!

  • Por que as dietas falham | Emagrecer:

    […] entender por que as pessoas falham ao fazer dieta, é necessário entender a Psicologia da Obesidade. É preciso entender como a parte mais básica, mais essencial e irracional, da […]

  • SIMONE:

    Olha,gostei muito do que vc escreveu.Sou obesa mórbida [como é dificil admitir isso] e embora já tenha tentado diversas vezes mudar este quadro,em nenhuma dessas vezes tive sucesso. Eu realmente tenhoproblemas financeiros.Mas algumas vezes consegui com, muita dificuldade, tratamento psicológico na rede pública de saúde.Porém até isso acaba me parecendo dificil demais,e eu acabo deixando de lado. Não consigo entender como fazer para achar a causa de tudo isso dentro de mim. Um psicólogo uma vez me disse que não era muito bom, que eu ficasse tentando achar a raiz dos meus problemas sozinha. Mas como não pensar nisso dia e noite? pois a obesidade me incomoda ao ponto de eu não querer mas sair de casa?

    As únicas vezes que me sinto á vontade é quando vou a igreja, pois dei que Jesus não julga minha aparência, e lá, é a casa dele

    por isso não tenho que me preocupar. Não sei se vou ver a sua resposta, pois achei seu blog por acaso e não sei se vou conseguir achá-lo de novo. De qualquer forma, obrigado pelos esclarecimentos, que Jesus te ilumine cada vez mais e que vc possa continuar a ajudar muitas pessoas. Bjs

    • Janio Sarmento:

      Simone.

      De certa forma eu concordo com o seu psicólogo, pois quando procuramos as raízes de nossos comportamentos sozinhos ficamos na propensão — natural e inconsciente — de ou criar culpa pelo que vemos ou negar as evidências. Ambos os dispositivos mentais tem um único objetivo: manter a pessoa no lugar de que ela quer sair.

      Existem alternativas de acompanhamento psicológico sem custos, ou com custos reduzidos. Faculdades de psicologia, por exemplo, são um excelente ponto de partida para pesquisar oportunidades deste tipo.

      Quanto ao aspecto religioso do seu comentário, prefiro abster-me de opinar. Não por não concordar, mas porque acho que não é só o Cristo que é capaz de amar os irmãos sem se preocupar com sua aparência. Então é melhor deixar pra lá.

      Se eu fiz minha lição de casa direitinho, você está recebendo no seu e-mail, no instante em que clico no botão de enviar, uma cópia da minha resposta. A partir deste e-mail você vai encontrar o endereço para o site novamente, OK? Não responda a mensagem, pois as respostas enviadas por e-mail vão para lugar nenhum, só os comentários deixados aqui no site é que são lidos e — na maior parte das vezes — recebem resposta.

      • Maria:

        Querida Simone!

        houve uma época na minha vida que eu era igual a você,não me aceitava com meus quilos a mais e por isso vivia triste frustrada mesmo, quanto mais dieta fazia mais deprimida ficava.

        Mas depois de muito gastar e sofrer, tomei uma decisão, me aceitei gorda e percebi que o preconceito era meu e não dos outros. Hoje vivo bem tranquila e cuido da alimentação para preservar minha saúde, sei que nunca serei magra mas também sei que nunca serei infeliz por isso. pense nisso e seja feliz isso é o que importa.

        Beijos, te cuida garota!

        Ah, eu sou a mãe do Janio, prazer!

  • Elisangela:

    Boa tarde!

    Concordo plenamente com seu texto, ele é exatamente nosso retrato.

    Durante anos tentei ser aquela pessoa que todos gostam, aparentemente sendo a pessoa que nunca está de mau humor.

    Após dois anos de terapia, exercícios, consultas, exames, estou vencendo o excesso de peso e aprendendo a lidar com a obesidade já que essa não tem cura.

    Mas sinto que mudei, se não gosto de alguma coisa exponho meu ponto de vista, discuto e até brigo (por assim dizer).

    -Cuidado com o que diz se não sento em cima de você!

    foi o que disse outro dia por uma piadinha que ouvi, e daqui em diante será assim, nem alegre, nem triste,"normal" (meio Cecília Meireles), com todos os meus defeitos, visíveis ou não, sem medo de ser feio.

    Lutemos não pela magreza, mas pela saúde, pela respiração fácil, por dormir bem, por amar e ser amado, por poder correr com seus filhos, por caminhar na praia sem sentir aquela dor no lombar, para viver mais e melhor.

    Quer vencer,desodorante no suvaco, exercício, alimentação balanceada… e principalmente preparo psicológico, acredite experiência própria.

    Abraço a todos bem forte, (de gordinha)

    Elisangela

  • carlinhos chico:

    emagreci,mas as pessoas nao deixam-me em paz e a toda hora fiam impressionado, apenas com exercicios e reeducação alimentar.de 110 a 90 kg.o que posso fazer?

  • leila:

    amei seu blog estou me sentindo horrivel tambem, nada que visto fica bom parace que todos ao meu redor é uma cinderela e eu hahaha uma bruxa horrivel como queria colocar uma calça jeans uma camiseta baby look e sair com o meu corpo magro mais não consigo sera que se eu pegar um psicologo eu consigo perder peso, porque sou muito ansiosa,nervosa, nao tenho nem vontade de ir trabalhar, queria só ficar em casa odeio o que eu faço sei la, não sei nem o que falo.mais deixa pra la só queria saber se psicologo trata deste problema de anciedade e nervosismo.Obrigado e um abração.

  • rose moura:

    eu tenho 1,63 de altura e peso 94 kilos eu não me sinto bem assim gorda porque o meu marido me acha ridicula gorda ele me esnoba e joga na minha cara todos os dias que eu sou gorda e barriguda só que ele naõ me ajuda a emagrecer ele só me credica,agora eu sou uma pessoa de 33anos de idade triste e queria morrer e não viver mais mesmo tendo dois filhos que são tudo para mim estou sem força de lutar não tenho animo para nada mais.nem para viver.

  • barbara petroni:

    oi janio,estava proucurando em um site sobre redução de estomago,e entrei neste blog..achei um maximo a sua sinceridade e nehum preconceito de gordinho eu tenho 1,70 e peso 120 kilos no momento estou gestante com nove meses isso quer dizer que engordei mais..

    o que me fez ler sobre todos esses assuntos,foi por uma conversa que tive com meu esposo e depois de 10anos ele me pediu pra procurar pesquisas sobre redução de estomago..claro hj tenho 26anos e estou gravida do quarto filho deprimida demais e com isso q ele falou me deixou mais triste ainda….mais gostei da forma que vc encara as coisas parabens e sorri muito com suas respostas…bjs e abraços…espero que possa responder meu recado.

    • Janio Sarmento:

      Barbara.

      Não se deprima, não! Tudo de que seu bebê não precisa é de uma mãe deprimida.

      Em vez disso, procure um médico e um psicólogo para avaliarem o seu caso. É certo que agora você tem mais é que se preocupar com o parto, e com a chegada do bebê; qualquer um que tenha filhos, ou pelo menos tenha um pingo de noção, sabe que é normal os irmãozinhos mais velhos se enciumarem do bebê, o que exige que a mãe multiplique as atenções entre eles.

      Converse também com o seu marido, diga a ele o que está sentindo, que ficou ainda mais deprimida, pois se ele te fez esse pedido certamente foi com o intuito de te ver bem. Esse cara te ama, pois homem nenhum faz quatro filhos com uma mulher que não seja o amor de sua vida.

      Conversando as pessoas se entendem!

      Ah, e parabéns pela atitude positiva: o normal é as pessoas ficarem irritadas quando se veem confrontadas com a verdade inconveniente.

  • Vilma Lúcia:

    Boa noite, Jânio! Sou aluna do nono período de Farmácia Generalista e estou fazendo um TCC sobre "A vida após a sibutramina" cujo nome, surgiu após a visita em um blog. Eu não gostaria de ficar presa em termos técnicos, mas entender mesmo a realidade de usuários de medicamenos para obesidadese em relação à interrupção do tratamento,levando em consideração os fatores emocionais. E você sabe expor muito bem tudo isso.. Amei o seu site! Parabéns!!! Eu, literalmente, estou "devorando" tudo que você escreveu..E gostaria de saber se poderei utilizar " A psicologia da obesidade" como parte de desenvolvimento do meu trabalho.

    Abração.

    E muito grata, viu?

    • Janio Sarmento:

      Vilma.

      Obrigado pelas palavras elogiosas. Considerando que a maioria das pessoas vem deixar comentários aqui me atacando, é uma excelente surpresa encontrar um comentário como esse seu.

      Fique à vontade para usar o meu material no seu trabalho, se possível eu gostaria também de ter acesso a ele, quando estiver pronto.

      Boa sorte!

      • Vilma Lúcia S:

        Boa noite, Jânio…Tudo bem com você?

        Nossa! Tanto tempo já se passou, mas vim aqui agradecer-lhe por ter me auxiliado no trabalho…Muitísso obrigada!!! De coração…Como imaginei, foi de grande ajuda para mim!

        Eu o concluí e foi muito bem avaliado pelos membros da banca.

        Me recordo que pediu acesso…Como enviá-lo para vc?

        Abraço.

        Vilma Lúcia

        • Janio Sarmento:

          Vilma.

          Eu entro em contato por e-mail, e te passo meu endereço eletrônico, OK?

          Meus parabéns pelo sucesso, e espero te ver mais vezes por aqui!

  • Débora:

    Estou sem palavras.. cada linha do texto q eu passava eu pude me ver como telespectadora da minha própria vida e tive uma grande revelação…

    Há algum tempo atrás emagreci muito (com remédios e regime a la Atkins 🙁 .. mas agora sei q isso não vale a pena) mas ainda assim não era feliz.. então achei que teria que emagrecer mais pq pra mim o motivo da minha infelicidade fosse meu excesso de peso, nunca tinha pensado o contrário..

    De certa forma estou num circulo vicioso em que eu triste e desconto na comida, depois fico mais triste ainda.. Sem esse auto-conhecimento que você comentou jamais serei capaz de ser feliz realmente.. Na verdade eu estava indo pelo caminho errado e nunca havia percebido.

    Obrigada por postar, você disse coisas q nem as pessoas próximas a mim conseguiriam dizer.. Agora pretendo conhecer as minhas aflições e reeducar minhas emoções, se é q isso existe ^^

    Beijos e boa sorte!

    • Janio Sarmento:

      Débora, é possível, sim!

      Você pode dominar suas emoções, em vez de ser dominada por elas, mas isso tem um preço que a maioria das pessoas não quer pagar: assumir sua própria vida, assumir a responsabilidade por suas escolhas, e ficar em constante vigilância para "capturar" as emoções no momento em que elas estão surgindo, para poder pensar (esta é a parte mais difícil) e decidir se aquela emoção vale a pena, se é benéfica ou não.

      Parabéns pela sua atitude positiva. Lembre-se que toda jornada começa sempre com o primeiro passo.

  • Jefferson Pereira:

    Olá, Janio !

    Muito interessante esse artigo que vc fala dos apectos psicologicos da obesidade.

    Sou estudante de psicologia e é de praxe que todos os alunos atendam aa comunidade gratuitamente nas clínicas-escolas das faculdades. Portanto as pessoas que realmente quiser ajuda psicologica, podem procurar por essas clínicas da faculdades de psicologia…

    Qualquer dúvida, podem me procurar que eu ficaria muito satisfeito em ajudar!

    ********************

    Um grande abraço !

    • Janio Sarmento:

      Jeferson.

      É uma política do site não permitir a divulgação de e-mails nem de números de telefones. Por favor, utilize o espaço para comentários para conversar com as pessoas aqui no site.

  • Suelen Alves de Arau:

    Oi, sou uma jovem de vinte anos acima do peso. Quer dizes então que sou imatura culpo os outros pelos meus erros e não sei perdoar?

    • Janio Sarmento:

      O que você acha?

  • Karina:

    Olá Janio,

    achei maravilhosa a sua exposiçao neste texto, ja fui uma dessas pessoas imediatistas que buscavam uma formula magica para emagrecer, e ainda sofro com a minha ansiedade em ver resultados durante o tratamento. Mas com certeza encontrar seu site foi muito legal pra expandir meus horizontes e ter mais pontos pra focar em mim. Hoje em dia faço uma reeducaçao alimentar acompanhada por uma profissional competente, mas vc reafirmou aquilo que ja ouvi e nao tinha compreendido como agora, que o gordo deve pensar magro, mas vai alem disso, nao precisamos apenas de uma reeducaçao alimentar, mas de uma reeducaçao mental antes de tudo. Tudo de bom pra vc!

  • ana:

    Olá…

    Ao ler seu artigo lembrei-me de uma coisa que a algum tempo venho pensando. Remedios para emagrer emagrecem mesmo, mas iai?? e depois?? Depois se engorda de novo, pq acredito que existe um motivo pra esse comer exagerado!! To falando isso por experiencia propria, depois que comecei a tomar esses remedios eu desviei o foco, nao pensava mais nas coisas gostosas q eu ia comer, porque vc passa o tempo todo enjoado, ai comecei a pensar na vida, uma filosofia só, mas resumindo acho q é importante descobrir pq se come muito, e pensar em uma solucao!!! Acho que cada caso é um caso, autoconhecimento é o caminhoo!! Boa sorte a todos então….

  • natalia:

    olá janio, encontrei esse blog qndo estava a procura de sibutramina, tenhho 23 anos 1,65 e 83 kilos, antes de ter meu filho q hj tem 4 anos eu pesava 63 kilos, passei por muitas decepções, é um choque se ver com 20 kilos a mais, estou tomando sibutramina e ja emagreci 10 kilos, isso levantou a minha estima, sei que o efeito é passageiro se eu nao me cuidar,porem vou me cuidar, o q as pessoas precisam é elevar a auto estima, verem q tem solução, e quando elas estiverem bem, se manterem no tal peso. Claro q tudo o vc disse tem razão, minha medica receitou sibutra de 10 mg 1 cps por dia, estaja tomando 2 por dia, ate q chegou um momento q minha mente estava confusa, mexeu demais com meu cerebro… ai voltei a minha dosagem normal e esta me fazenndo bem… conclusão: Eu me sentindo bem vou lutar pra continuar assim, sei que vou ter q me afastar da sibutramina, pois nao posso toma-lá pelo resto da vida, mais quero ser magra e isso esta quase acontecendo, e qundo acontecer vou me manter assim, é igual ao amor, lutamos para conquista-lo e apos isso temos q lutar para nao perde-lo… parabens pelo blog

  • Ivani:

    Bom dia,

    Entrei no blog devido a estar olhando dieta da usp,de onde veio e qual os riscos.

    Adorei,as o bate papo de todos.

    Sou gordinha tb e vivo entre a correria e o ínicio de reeducação alimentar.

    Sou professora e trabalhando com crianças vejo muita coisa e me dão que não resisto.

    Janio Sarmento,gostei sobre a psicologia e se reanime.

    Sou uma das que não vai fazer a dieta da usp.

    òtimo fim de semana.

  • Nágila:

    Muito bom! Tudo haver comigo… Tenho apenas dezesseis anos e sofro bastante tentando controlar minha ânsia. A cada dia tenho me superado e muito difícil mas continuo lutanto. Obriga! muito interessante!

  • Emanuela:

    adorei tudo que escreveu mim encontrei em muitas das suas palavras:

    eu peso 73kg em 1:63 nao sei mas oq faser pra emagracer ja tentei de tudo mas sofro de uma anciedade. mim acho super gorda e meus pais e em geral todos mim precionam para emagrecer pos eu era bem magrinha e isso realmente mim deixa triste

    tenho conpuçao por comida e isso torna tudo mas difiail meu noivo é o pio de todos é o tento todo falando que to gorda d+ se poder mim da uma ajuda vou ficar muito grata

    obrigado!!!!!!

  • Jaqueline Terres dos:

    Olá, sou uma mulher de 20 anos, e sempre tive problemas com sobrepeso, não sou obesa apenas um pouco acima do peso ideal, estou me tratando a 7 meses com pscologos, para ver se descubro minha compulsão por comida. Amei este blog, você é maravilhoso, li varias postagens suas, vim para aqui achando que seria mais um daqueles que te ensina como sair da obesidade e virar modele em 10 dias, entao me surpreendi com o conteudo, parabens e obrigada, atravez deste blog consegui saber de algumas coisas e estou levando esse materias para minha pscicologa. Obrigada e uma boa vida para você…

  • Thays Vargas:

    Olá, gostei muito do texto e fikei interessada sobre o assunto.

    Minha terapeuta sempre me disse q a obesidade era uma forma de se proteger, um resultado de uma carencia não satisfeita. Mas nunca tinha entendido por qual razão o corpo processava dessa forma.

    Se fosse possivel, gostaria q vc me recomendasse alguns livros para q eu possa me aprofundar mais no assunto.

    Obrigada

  • Pedro Henrique:

    Olá, Janio.

    Tenho 20 anos e sou obeso e um pouco deprimido,notei que a maioria dos obesos se identificam muito com o seu texto, mas eu não (exceto pela prepotencia).

    Talvez eu não me encaixe mesmo no seu texto, ou minha prepotencia(que considero pequena) é tão grande que não consigo perceber isso. Mas em parte me encaixo no seu texto,pois tenho auto-estima baixa e sou o "bonzinho" que não diz não á ninguem.

    Parabéms pela sua atitude de criar um post com a aintenção de ajudar as pessoas.

  • ana paula:

    olá, me identifiquei muito com o texto.

    ja fiz cada coisa mirabolante para me tornar magra e ainda continuo a mesma ggordinha de sempre.

    sabe com este texto descobri o que oos medicos me diziam o que não me deixa emagracer é o psicologico. penso nos que os outros vao achar e faço tudo em fuunção de muitos e não de mim mesma

    nos ultimos dias, são os que mais estão me deixando o triste,aumentou 2 numeros de maquiquem, ja não aguento mais,isso. me ajudemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

    por favorrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

  • simone varoni:

    Olá! Gostei de seu blog e vejo que realmente preciso procurar uma ajuda psicológica. No fundo, não gosto de ser cobrada. Quando isso acontece, eu fujo. Fiz uma dieta com sibutramina em jan deste ano e em um mês tinha perdido 8 kg. Eu fiquei em casa sem sair e quando sai não me conheciam. Claro, 8kg em 1 mês, fala sério. Eu era extremamente falante, alegre, eufórica. Fazia minha comida com imensa alegria, comia as fibras, frutas e caminhava todo o santo dia na esteira. Hoje, a esteira está fechada e eu sempre prometendo. Preciso recuperar a vontade que eu tive. Mas onde ela está? Estou com 78 kg. Em fev, eu estava com 72kg. Bom, é isso! Sempre na luta, acho q falta é vergonha na cara, mesmo. Saber que sobrecarrego minha coluna, q faço mal para mim mesma. Precisamos de uma lavagem cerebral é isso! beijos

    • Janio Sarmento:

      Simone.

      Ninguém precisa de lavagem cerebral. O de que as pessoas precisam é de aprenderem a pensar com suas próprias cabeças, sem medo de encarar a realidade.

      Lavagem cerebral é o que tentam fazer com a gente todo santo dia, e os resultados disso você já conhece: frustração, senso de inadequação, medo de ser rejeitado, etc.

  • Lidi:

    Boa tarde Janio, encontrei seu site por um acaso, quando estava pegando algumas informações sobre dietas etc, sou uma das inumeras pessoas que não está obesa, mas se sente obesa, o mais incrivel é que mesmo sabendo a realidade bate aquela depressão, a autoestima desaparece dando lugar a um sentimento de feiura. Ouvimos apenas o que queremos ouvir, mil pessoas podem te dizer que esta magro, mas se uma te disser ao contrario é para esse comentário que damos valor.

    Gostei muito de tudo o que escrevestes aqui, seus comentários, as vezes apimentados com muita verdade me faziam sempre ler mais um.

    Parabéns, não sei exatamente qual seu objetivo com este espaço, mas acredito que estás ajudando muitas pessoas a sentirem se melhor.

    Grande abraço !

  • Nelci:

    Olá Janio!
    Concordo com seu artigo. Depois de estudar muito consegui me livrar da obesidade. Realmente a obesidade depende da relação que temos com a comida e acabamos procurando saciar não a nossa fome física, mas nossa fome psicológica através da comida. Descobri isso observando…observando as pessoas magras e as gordas comendo. É bem interessante. As pessoas magras comem devegar, saboreando o alimento. As gordas comem rápido, assim como eu comia, com voracidade. Percebi que eu era infantil em relação à comida. É como uma criança que recebe um doce para parar de chorar. Precisamos encarar nossos problemas e não comê-los. Um grande abraço. Adorei o blog.

  • leticia:

    Olá eu tenho 20 anos e sou linda,so que sou gorda e isso me incomoda muito nao como exageradamente como pouco e sou muito mais gorda que meus familiares ja tentei de tudo para emagrecer ate vomitos e diureticos e nada as vezes me sinto inferior as pessoas com que relaciono isto me torna uma pessoa muito triste seu site me emocionol li o que escreveu e senti que tudo isso acontecia comigo,vc disse que ja tinha um tempo q nao atualizava o site pq as pessoas procuravam um milagre para emagrecer?!So que hj eu o digo que o conteudo desse site pqlo menos para mim que estava procurando este milagre me mostrou que o milagre tem que vim de mim gostei muito e me fez refleti muitas coisas que estavam guardadas em meu coracao

    obrigada 😀

    • Janio Sarmento:

      Leticia.

      Que bom que meu texto chegou ao seu coração, é isso que eu espero sempre, mas infelizmente não depende só de mim.

      Obrigado pelo comentário simpático, ganhei meu dia hoje! 😀

  • Como perder barriga:

    […] Não acreditar em propaganda: a tevê está inundada de aparelhos “milagrosos” que prometem emagrecer 10kg e diminuir 10cm de barriga num mês enquanto você vê novela. Da mesma forma, existem muitos produtos medicamentosos que prometem fazer tal mágica no corpo humano. Isto non ecziste. O corpo é um complexo sistema composto de diversos subsistemas, e é necessário aliar exercícios físicos, dieta equilibrada e equilíbrio emocional para ter um corpo esbelto e saudável (leitura recomendada: A Psicologia da Obesidade). […]

  • Farinha de linhaça engorda? | Linhaça:

    […] entender melhor a relação dos gordos com a comida, sugiro a leitura do excelente texto A Psicologia da Obesidade, em que são tratadas diversas questões sobre a relação afetiva dos gordos com a […]

  • Ketlin:

    Perfeito!

    Ao ler esse texto me encontrei perfeitamente e falou diretamente para mim gostaria de tê-lo na mão para lembrar todos os dias do que eu acabei de ler. Verdadeiramente depois de traumas que eu passei engordei 10kg e nunca mais consegui voltar e foram incançaveis tentativas e nada até hoje. Amei, o autor foi verdadeiramente feliz ao relatar tudo isso. Muito obrigada.

    • Janio Sarmento:

      Ketlin,

      Obrigado por suas palavras amáveis e pelo reconhecimento ao nosso trabalho. Pensar que existem pessoas que como você, apesar de todos os problemas que a natureza humana possa implicar, ainda têm a mente aberta para ao menos tentar pensar com clareza e discernimento, incentiva a gente a trabalhar mais.

  • Cleidi:

    Deixo o s meus parabéns pela abordagem do tema

    Só passei pra dizer que por mais que seja difícil mudar ações já tão encorporadas como a forma compensatória da alimentção. A idéia de que depois eu faço algo que me faça ser feliz, esse eterno amanhã não ajuda em nada! busque agora a mudança, se daqui a ajgumas horas não mais queira essa mudança…. aí fica super difícil e acho que a busca por um profissional que te ajude a manter um foco saudável é o mais plausível… Caso realmente QUEIRA a mudança comece comendo!… estranho né!… desligue todo aparejho que possa te distrair e prepare algo com aqilo que já pesquisou e sabe que é saudável e cabe n orçamento, preste mais atenção ao teu prato, em cada mastigada pense como algo tão simples e natural comom alimentar-se tá te deixando "irracional" e fora do controle, como todos esses doces, coxinhas, chocolates… são mais importantes que você, pois, eles te dominam!. Porque será que sou tão cruel comigo mesmo ao ponto de me empanturrar e me fazer cada vez mais infeliz!? Porque os outros são sempre melhores e mais bonitos do que eu !? será que são mesmos? ou eu na minha enferioridade e "irracionalidade" os vejo melhores?. Acho… que um grande BASTA já é um início. E qd eu tentar eu fracassar, não vou desistir, pois se comi muito a noite, amanhã compensarei com exercícios físicos e respeito a minha alimentação.

    Tá parece algo repetitivo e já dito por alguém antes, más é assim, que cada dia eu reiniciou a minha reeducação alimentar e já tenho perdido 20 kls.

    Abraços a todos, e porfavor não desista de você!

  • Fernanda:

    Muito interessante. Estou iniciando uma pesquisa dentro deste tema e gostaria de conversar um pouco contigo sobre o assunto.
    Parabéns pelo artigo.

  • Marcio:

    Boa tarde.
    A dois anos atras procurei ajuda medica para fazer uma cirurgia Bariatrica pois eu estava com 140 kg tenho 1.80 de altura mas com muitos conselhos de familiares e outros medicos foi convencido a fazer uma dieta e consegui perder 30 kg cheguei a 110 kg isso foi muito bom mas nos ultimos meses engordei 6kg estou atualmente com 116 kg mas nao consigo mais ter aquela determinação que tive a dois anos sera que alguem poderia me ajudar como que eu faço para buscar aquela força de vontade obrigado.

  • simone:

    boa tarde…
    Nossa sei que muitos comentarios são parecidos….mas nao tive como passar pelo seu blog sem deixar o"meu"comentario….tenho 25 anos e luto desde a adolescencia pra manter o peso…(pois estou sempre acima)rsrs….e suas palavras deveriam ser lidas por todas e quaisquer pessoa que tenha baixa auto-estima e esteja acima do peso….é isso mesmo nada vai resolver…remedios proibidos…exercicios …nada disso vai surtir efeitos se nao nos aceitarmos , se nao estivermos pisicologicamente bem…..obrigada pelas suas palavras foram de muita ajuda pra mim…me fizeram refletir sobre coisas que eu fazia vista grossa…..vou buscar ajuda de um profissional na area da pisicologia … e volto aqui no seu blog pra fazer novo comentario…bjos fica com Deus

    • Janio Sarmento:

      Simone.

      Que bom que meu blog pode ser útil para pelo menos algumas pessoas (pessoas conscientes como você são raros, a maioria só quer comprar ou vender remédios proibidos por aqui).

      Vá em frente, que o primeiro passo você já deu. E qualquer coisa, faça contato. Na maior parte das vezes as pessoas acham que sou "grosso" e mal educado, mas, ao contrário, eu quero é ver as pessoas felizes e saudáveis, em vez de alimentar seus hábitos perniciosos.

Comentários fechados.

Os comentários para este post foram encerrados.