Diário de um gordo

Recebemos um comentário de um leitor ao texto Depoimento da Dina, que conta como ele saiu de ser magro (a ponto de ter o apelido de “Cotonete”) a estar obeso de não suportar mais o próprio corpo, bem como sua caminhada inversa, em busca do peso ideal e de um corpo saudável.

Continuar lendo Diário de um gordo

“Comida saudável” no cardápio pode induzir ao consumo de alimentos “proibidos”

Almoço árabe, com batatas fritas, salada (fattoush), húmus, baba ghanouj, etc

Se você está de dieta, preste atenção: a oferta de saladas e outros alimentos considerados “saudáveis” numa refeição pode triplicar sua propensão ao consumo de batata frita e outros alimentos considerados “proibidos”.

A conclusão é de pesquisadores que conduziu um experimento com um grupo de estudantes universitários americanos: ofereceram dois cardápios diferentes; o primeiro com batata frita, nuggets de frango e batata assada; o outro incluía os mesmos itens, bem como salada. Naturalmente a batata frita é facilmente percebida como sendo o menos saudável desses alimentos, mas a despeito disso, os alunos que pediram o segundo cardápio comeram três vezes mais batata frita do que os que pediram o primeiro.

Na verdade, é uma mostra do quanto nossos desejos mais profundos de busca pelo prazer por meio da comida pode jogar contra nossos interesses de manter uma dieta saudável.

É como se o fato de incluir a salada na refeição desse à mente a sensação de permissão para pedir aquele outro alimento que dá mais satisfação (a batata frita), porque, afinal, tem uma salada milagrosa ali!

Na verdade, não é possível dizer com exatidão por que este comportamento ocorre, mas é bom que saibamos que nosso inconsciente pode nos pregar peças, justamente para podermos escolher se queremos ser vítimas de comportamentos inconscientes ou se preferimos tomar as rédeas da vida para vivê-la de acordo com nossa vontade mais legítima.

Via: Lifehacker

Nutricionistas portugueses alertam contra Herbalife

De acordo com esta matéria, nutricionistas portugueses estão recomendando que se proíba a venda de suplementos “de pessoa a pessoa”, como é o mecanismo de venda do Herbalife.

A matéria é extensa, e não é meu objetivo reproduzir notícias por aqui, mas haja vista o quão contrário eu sou a toda forma de automedicação, acho importante comentar.

Só para constar: eu já tomei Herbalife, emagreci bastante com o seu uso. Mas não atribuo ao produto o emagrecimento, e sim à minha mudança de hábitos alimentares. Experimente fazer uma vitamina de frutas toda manhã e toda noite, cortando as torradas com manteiga, as bolachas, geléias, ovos com bacon, ao mesmo tempo que aumenta a ingestão de água em pelo menos dois litros por dia, e no almoço dá especial atenção aos vegetais, evitando numa mesma refeição ingerir amidos e carboidratos. Com certeza você também vai emagrecer.

via: “Herbalife é atentado à saúde pública”, alertam os nutricionistas

»crosslinked«