Lista de emagrecedores proibidos e permitidos pela Anvisa

Lista dos emagrecedores que são permitidos e dos que são proibidos no Brasil pela Anvisa, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Emagrecedores proibidos e permitidos no Brasil

Há uma reportagem muito boa no portal Terra sobre os emagrecedores que são permitidos e os que são proibidos no Brasil atualmente.
A matéria foi feita por causa da divulgação dos índices de sobrepeso da população brasileira pelo Ministério da Saúde, que dizem que 47,1% da população adulta está com sobrepeso e 15% é obesa.

A pesquisa do MS também mostrou que, se nada for feito em benefício da saúde, em 13 anos alcançaremos os índices do povo norte-americano nesse problema.
Confira a seguir os dados publicados pelo artigo desse portal de notícias.

Emagrecedores proibidos

A Anvisa proíbe a produção, o comércio, a manipulação e o uso de medicamentos à base de anfepramina, femproporex e mazindol, pois todos são inibidores de apetite do tipo anfetamínico.
Cetilistate e cassiolamina não possuem qualquer medicamento registrado na Anvisa (ainda estão em fase de testes).

A substância liraglutida é um componente do Victoza, que é um remédio indicado para tratar diabetes (tem sido usado pelas pessoas para obesidade, mas não existe nenhuma recomendação médica para esse fim.

Rimonabanto é uma substância usada para produzir Redufaste e Acomplia, e foi suspenso pela Anvisa desde novembro de 2008.

Outro produto não aprovado pela Anvisa é o Propolene, feito a partir de uma fibra alimentar chamada glucomanan.
Outro ingrediente não registrado pela Anvisa em nenhum medicamento a lorcaserina. É um anoréxico com efeito semelhante a um antidepressivo. É proibido em outras partes do mundo também.
Não há nenhum produto à base de faseolamina sendo comercializado no Brasil (o Dietrine foi proibido este ano).
Não há nenhum produto que contendo Caralluma Fimbriata regularizado para vendas no Brasil (essa substância está proibida desde 2010).
Não há nenhum produto emagrecedor feito com cafeína, apenas energéticos e analgésicos são permitidos.
Esses ingredientes ou produtos não tem registro em nenhum país do mundo: o TrimSpa foi proibido pela Anvisa, pois sua primeira fórmula continha efedra, componente banido nos EUA, muito embora o ingrediente ativo desse produto seja Hoodia gordonii e os estimulantes cafeína e teobromina.
Tesofensina está em fase de testes, mas continua sem liberação ou registro.
Tudo proibido: Cordia ecalyculata vell, conhecida como porangaba, cafezinho, café-do-mato, chá-de-frade, louro-salgueiro e louro-mole, que é a planta brasileira utilizada para a fabricação da PholiaMagra.

Slendesta: proibido pela Anvisa, embora farmácias de manipulação utilizem em fórmulas reguladoras de apetite.
O chá verde não foi aprovado pela Anvisa para comercialização em formas que não sejam a de chá apenas (Camellia sinensis continua proibida).
Óleos de gergelim, de linhaça e cártamo não são registrados como emagrecedores. São consumidos como óleos apenas, ou seja, alimentos ou ingredientes.

Atualizando: em 12/07/2013, a Anvisa proibiu a distribuição e venda das seguintes substâncias:

chá misto solúvel Funchinane, por conter maltodextrina, um carboidrato que aumenta a energia muscular,  sucralose (adoçante) e dióxido de silício;

emagrecedores Bio Waist Spirulina em cápsula e Bio Waist – Quitosana e Spirulina em cápsulas, da empresa La Mata Laboratório Botânico.

Emagrecedores permitidos

Cloridrato Sibutramina tem venda controlada, apenas mediante apresentação de receita do tipo B2, e deve ser descontinuada em pacientes que não alcançarem bons resultados após quatro semanas. Segundo uma pesquisa chamada Scout, a sibutramina aumenta em 16% os riscos de infarto e AVC; a sibutramina pode ser encontrada em remédios como Meridia, Reductil e Sibutrex.
Orlistate, substância que está liberada para tratamento contra a obesidade, e é encontrada nos seguintes remédios: Xenical, Lipiblock e Orlibesi.
Quitosana só está liberada para ser comercializada em produtos alimentares.
O fitoterápico Belly, que tem em sua composição a Garcinia cambogia, está liberado para o consumo no Brasil.
A bupropiona é conhecida via o Welbutrim, e o cloridrato de naltrexona tem como representante comercial o ReVia (ambas as substâncias estão proibidas nos EUA).

***

É preciso levar em conta que mesmo as substâncias permitidas, registradas e liberadas para consumo, possuem restrições. Assim, o melhor mesmo é consultar seu médico antes de tomar qualquer uma delas.

Lembre-se: este é um artigo meramente informativo, não é balcão de farmácia e muito menos consultório médico.

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? É só clicar nos botões abaixo e divulgar!

Ainda sem comentários

Deixe uma resposta

Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.