Emagrecer com Femproporex: o depoimento da Roberta

O texto que temos para hoje é na verdade um comentário deixado em outro artigo daqui deste site mesmo, mas cuja importância é demasiada para não ganhar destaque.

Daqui por diante a palavra é da Roberta — nós faremos apenas uns poucos acertos na ortografia, tentando interferir o mínimo e nada mais na estrutura do texto.

Não sei ao certo se meu caso realmente é o tipo de relato que você pretendia ler mas, ao menos servirá para alertar outros “descabeçados” que, assim como eu um dia quis,querem emagrecer rapidamente e a qualquer preço!

Bem, vou falar sobre minha última experiência na tentativa de emagrecer.

Em novembro de 2008, após diversas tentativas de emagrecer com dietas, regimes mirabolantes e “fórmulas mágicas”, resolvi mais uma vez recorrer a um médico, indicado por uma amiga da faculdade, que me passaria mais uma fórmula sem grandes problemas durante a consulta, na verdade,a única coisa que ele me perguntou durante a consulta foi sobre quantos quilos eu pretendia emagrecer, mediu minha pressão arterial e tirou meu peso (102kg para 1,70 de altura).

Me passou uma fórmula com anfepramona, fenproporex, fluoxetina e outros componentes “naturais” que me fariam eliminar líquidos; me deu a receita com quantidade suficiente para dois meses, pois disse que assim ficaria mais barato para manipular, dois meses ao invés de um, pediu que eu retornasse em 30 dias e veriamos os resultados obtidos.

Manipulei a fórmula e comecei a tomar; senti insônia, náuseas, dores de cabeça e taquicardia, mas queria emagrecer de qualquer forma, então nem dei atenção aos sintomas.

Após 15 dias com o remédio, já não sentia vontade de comer nada, seria capaz de passar o dia apenas tomando água ou com duas ou tês bolachas de água e sal, e melhor ainda, já havia perdido 13kg!

Viajei com minha mãe para a praia, passamos um final de semana ótimo, antes do remédio eu costumava beber, mas parei, só resolvi tomar meia lata de cerveja no domingo, não poderia me fazer mal! assisti tevê, tomei banho e fui me deitar; assistia ao filme Senhor dos anéis, aquela parte em que as árvores começam, a falar e a andar, de repente, comecei a “viajar”, ouvir barulhos que vinham da portaria e corredores do meu apartamento (eu estava sozinha em um quarto e minha mãe em outro, já dormindo) levantei e tranquei a porta do quarto, ai piorou, comecei a ouvir barulhos e vozes na porta do meu apartamento, eu ouvia nitidamente, dois homens conversando, tentando entrar em nosso apartamento para nos roubar.

Pirei, liguei para a policia, pedi socorro, me escondi embaixo da cama; após 15 min suando frio embaixo da cama e com o celular na mão, vi que a viatura policial demoraria muito, levantei correndo, abri a porta da varanda e pulei para pedir socorro (a distância até o chão é de aproximadamente três metros e meio); na hora vi que havia quebrado o pé mas não liguei, pulei o portão do prédio, o porteiro sem entender nada, saí correndo pela rua, parando carros e pedindo socorro, de pijamas e sem chinelos, me escondi embaixo de um carro e depois de um ônibus, pois achei que estava sendo seguida… só pra encurtar a história, consegui um rapaz que resolveu me ajudar, chamou o resgate e eu fui para o hospital, transtornada, pedindo que ajudassem minha mãe pois os homens haviam invadido meu apartamento e a estavam ferindo… alucinei (sic)

Só comecei a voltar à realidade depois de muito tempo no hospital, tomando oxigênio; e só acreditei realmente que aquilo tudo era ilusão, quando vi minha mãe chegando ao PS desesperada, amparada por um PM, querendo saber o que havia acontecido!

Quebrei o tornozelo, um osso chamado tálus, que os médicos dizem que acontece normalmente com aviadores ao ejetarem seus assentos, esse osso é quase impossível de se quebrar; pois é, eu quebrei! Passei por uma cirurgia e ganhei um pino de uns 18cm, fiquei nove meses sem poder andar, engordei mais 18 kg mais ou menos, por usar uma bota ortopédica por muito tempo em minha recuperação, tive uma torção na coxa (meu joelho só fica no lugar certo quando meu pé esta virado para fora, quando o pé esta para dentro meu joelho vira também, fica na direção da parte interna da coxa da outra perna), meu pé ficou torto, perdi 2cm em seu comprimento.

Sinto dores diariamente, de quando me levanto até me deitar sinto dores ao andar. (Tem dias em que, quando acordo na madrugada com vontade de ir ao banheiro, tenho vontade de fazer xixi ali mesmo, na cama, tamanha é a dor que sinto ao pôr o pé no chão.)

Me desculpe por escrever tanto, mas, de vez em quando, bate uma deprê, uma vontade de desabafar e chorar, aí penso por que cargas d’água eu fui inventar de tomar aquele remédio; se eu tivesse sido menos preguiçosa, teria me matriculado em uma academina e estaria emagrecendo lentamente, mas com meus dois pé perfeitos!

Gostaria de compartilhar isso com outras pessoas, principalmente meninas, que por pressão da sociedade ou sei lá o quê, se sentem na obrigação de emagrecer a qualquer custo sem pensar em consequências; a bula de todos os remédios que estavam presentes na fórmula que eu tomei dizia que poderiam causar alucinações, nunca acreditei, alucinar, pra mim, era coisa de filme ou novela, e não é, acontece de verdade.

Mais uma vez, desculpe por tanto escrever!

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? É só clicar nos botões abaixo e divulgar!

112 Comentários

Deixe uma resposta

Content Protected Using Blog Protector By: PcDrome.