Comer é um vício

Já comentei em outros artigos minha dificuldade de parar de ingerir doces e de adicionar açúcar em excesso em bebidas tipo café e sucos.

Bem como a dificuldade de reduzir o consumo de sal e de frituras.

Ou seja, podemos dizer sem precisar de pesquisa científica que somos viciados em açúcar, sal e gordura. (Feliz de quem não é!)

Posso consumir mais açúcar mascavo e mel, mas eles continuam sendo doces.

A questão não é se vamos deixar de ingerir esses ingredientes ou alimentos que os contém.

A questão é se vamos conseguir fazer isso sem abusar da quantidade, se o consumo vai ser moderado, sem haver o passo adiante da gula.

E não é porque sou magro que deixo de comer uma porção extra por gula.

Reconheço sem problema nenhum que como além do que necessito, pois tem a porção ingerida por ansiedade, além da citada acima, por gulodice.

Para mim não é um grande problema, pois tenho facilidade em emagrecer e me cuido pra não engordar. Mas pra quem tem dificuldade com isso, o problema aumenta e muito.

Mas, voltando ao tema inicial, do vício na comida: uma equipe de pesquisadores demonstrou através de exames cerebrais que a visão de alimentos saborosos provoca atividade cerebral semelhante à ocorrida em quem é dependente de drogas.

Ou seja, a reação cerebral de alguém viciado numa droga ilegal é semelhante àquela despertada por um alimento delicioso.

Como também já comentei, a obesidade é um assunto muito complexo pra ser tratado de forma simples. Além de já ter se tornado uma epidemia em alguns países, como os Estados Unidos. O Brasil vai seguindo por essa mesma péssima trilha.

É claro que cada história é diferente, e cada pessoa precisa ver o que a leva a exagerar na alimentação, tipo o que está compensando com a ingestão exacerbada de comida ou bebida. Em suma, o que a leva a esse vício de comer sem refletir sobre isso.

Nessa hora, uma visita regular a um(a) psicólogo(a) ajuda muito (além do trabalho com nutricionista), e pode evitar transtornos maiores.

É preciso coragem pra olhar pra si, e perder o medo de ver o que dispara a necessidade de preenchimento alimentar além do necessário.

Ah, um bom começo pode ser aprender a respirar. Experimente a RESORI, a Respiração Original, que é indolor, inodora e sem efeitos colaterais. E o melhor, você pode praticar até deitado(a) ou sentado(a) em sua cama. E é gratuita.

Boa meditação!

 

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? É só clicar nos botões abaixo e divulgar!

Deixe uma resposta