A Dieta da Respiração

Talvez eu tenha escolhido um título meio sensacionalista ao falar em dieta da respiração para este texto, mas o fato é que pesquisadores da UCLA foram capazes de modificar geneticamente algumas cobaias que passaram a exalar o excesso de gordura de seus corpos, o que vai acabar, ao cabo de um indeterminado tempo, possibilitando a criação de um tratamento milagroso para doenças como diabetes, cardiopatias e — é claro — obesidade. Ou seja, as pessoas vão mesmo emagrecer apenas por respirar.

Ratinho alimentado com uma dieta 55% mais rica em gorduras aumentou seu peso em 35% em duas semanas.
Ratinho alimentado com uma dieta 55% mais rica em gorduras aumentou seu peso em 35% em duas semanas.

Num estudo publicado na Cell Metabolism, o professor de engenharia química e biomolecular James Liao, mostrou que alterações genéticas habilitavam ratos a converter gordura em dióxido de carbono, mantendo-se magros enquanto comendo o equivalente a uma dieta de lanchonete.

De fato, quem é viciado em fast food não pode nem pensar em comidas gordurosas que já fica louco para correr para a lanchonete mais próxima para esbaldar-se num sanduíche gigantesco acompanhado de batatas ou cebolas fritas e muito refrigerante. Mas até mesmo para estes esse novo estudo pode trazer esperança.

Um dos colaboradores do Professor Liao disse que eles partiram de uma premissa totalmente diferente do convencional para desenvolver este estudo, tomando emprestada uma ideia que até então só fazia sentido com relação a plantas e bactérias. É sabido que plantas e bactérias digerem gordura deferentemente dos humanos (e dos mamíferos em geral). As plantas normalmente armazenam muita gordura nas sementes, que ao germinar convertem a gordura em açúcar para crescer. A razão pela qual elas processam a gordura desse jeito é que elas têm um conjunto de enzimas que só está presente no DNA de plantas e bactérias, não existem em mamíferos.

O estudo dos pesquisadores justamente introduziu tais enzimas em células humanas cultivadas. Só que em vez de converter a gordura em açúcar como fazem as bactérias e plantas, as células converteram a gordura completamente em dióxido de carbono (o gás que a gente naturalmente exala ao respirar). Esta descoberta revelou o caminho bioquímico que promove o metabolismo da gordura em vez de o do açúcar.

A partir daí os cientistas introduziram os genes modificados no fígado das cobaias. Enquanto os ratos normais engordavam quando submetidos a uma dieta sobrecarregada de gordura, os ratos modificados se mantiveram magros a despeito do fato de eles terem o mesmo gasto energético que os outros. Além disso, os ratos modificados também apresentaram menores níveis de gordura no fígado e colesterol mais baixo.

Um aspecto promissor da nova pesquisa é que a conversão da gordura em dióxido de carbono em vez de açúcar, é que níveis altos de açúcar podem provocar outras doenças, como diabetes.

Para finalizar, cabe dizer que este estudo realmente mostra-se como uma lanterna de esperança para quem sofre com o excesso de peso, e dentro de alguns anos talvez tenhamos tratamentos que vão em direção diversa da invasiva cirurgia de estômago. Até lá, cabe lembrar que uma dieta equilibrada, exercícios físicos e a cabeça no lugar são o melhor tratamento disponível para a maioria das pessoas.

Via Slashdot.

Que tal compartilhar este texto com seus amigos? É só clicar nos botões abaixo e divulgar!

Deixe uma resposta